sábado, 27 de maio de 2017

ENTENDA POR QUE A GLOBO ESTÁ TÃO SEDENTA DE APROVAR AS RERFORMAS TRABALHISTA E DA PREVIDÊNCIA, E SAIBA COMO TENTAR EVITAR A APROVAÇÃO

Para obter o poder e nele se sustentar, Temer e  seus asseclas precisaram do apoio do alto empresariado do país (industriais, banqueiros, donos de órgãos de imprensa , rádio e tevê, latifiundiários, donos de firmas de previdência privada e vai por aí adiante).  Acontece no entanto que empresário não apoia ninguém sem disto tirar vantagens e altos lucros.  Prova disto é a relação dos agora delatores com os governos do PT, PSDB, PMDB e apoiadores, que transcendeu os limites da legalidade.   No caso da atual gestão o respaldo foi trocado pelo pacto de espantoso barateamento da mão-de-obra através da reforma trabalhista (o que irá gerar lucros incalculáveis aos patrões) e, como há, entre os empresários que dão apoio a essa gente que governa,  inúmeros devedores da  previdência, estes inadimplentes estão sendo anistiados em bilhões e bilhões de dólares, e aí esse cara que tá exercendo o mandato de presidente  (num cai-não-cai desesperador) quer tapar esse buraco gigantesco  que está causando no orçamento da União com o nosso sacrifício, a partir do não-pagamento  dos benefícios que só receberemos  caso tenhamos respeitado pelo Congresso o nosso sagrado e inquestionável direito à aposentadoria, já que entramos no mercado de trabalho e pagamos a vida inteira para nos aposentarmos aos sessenta anos no caso de nós,  homens, aos cinquenta e cinco no das mulheres.
Se não ficou claro onde a Globo entra nisto, é só ver o quanto está sendo veiculado nas redes sociais que as organizações devem verbas previdenciárias astronômicas ao erário. Daí os jornalistas da emissora repetirem exaustivamente que a reforma é absolutamente necessária e requer uma urgência de ejaculação precoce, repetindo as palavras do emproado e prepotente Henrique Meirelles, que diz num tom de dono do País que nada mais pode ser abrandado ou negociado na maldita proposta de mudança que enviou ao Legislativo.  Os globais agem como agem porque as empresas dos Marinho também querem esta vultosíssima  anistia.  Mais: segundo o jornalista Paulo Henrique Amorim, a rede de comunicação quer que, caso caia Temer, a equipe econômica seja mantida, e para tanto está pronta a apoiar a escolha do nome que o Congresso fizer  para subsituir o atual mandatário,   que segundo especulações pode  ser Nélson Jobim ou o próprio Meirelles,  estando quem quer que seja escolhido desde já incumbido de concluir  as infames reformas iniciadas pelo perverso Temer.
Deste modo, saindo ou não o atual mandachuva, nossos olhos e foco têm de se voltar inteiramente para os deputados e senadores, divulgando os nomes dos que estão a favor da reforma e dos que estão se dizendo indecisos, para que não sejam maios votados nas próximas eleições, sobretudo porque os que não delcaram seu voto ou se dizem indecisos vão na verdade apoiar as reformas, mantendo-se apenas no aguardo de que o governo lhes faça altíssimas e generosas ofertas.   Assim, entrem no link http://infograficos.estadao.com.br/especiais/placar/votacao/economia/?id=KJpdG40RpG e vejam os favoráveis, falsos indecisos e os que não revelam a posição, e não deem votos a nenhum  deles em  hipótese alguma.   E isto deve ser feito ao menos duas vezes por semana.  O "placar do Estadão" tem de ser divulgado da mesma forma insistente como a Globo diz que "as reformas são necessárias".  Além disto, seja qual for o resultado das votações , devemos difundir a lista dos que votam contra trabalhadores até as eleições de 2018, para que os políticos nocivos às classes trabalhadoras sejam varridos do poder público.
Não deixem de divulgar duas vezes por semana a lista de "O Estado de São Paulo", além das listas contidas nos links:  http://g1.globo.com/politica/noticia/saiba-como-votou-cada-deputado-no-texto-base-da-reforma-trabalhista.ghtml (este é da reforma trabalhista) e https://oglobo.globo.com/rio/veja-como-votou-cada-deputado-na-aprovacao-do-aumento-da-aliquota-previdenciaria-do-servidor-no-rj-21391676 (este é o do aumento da contribuição previdenciária dos servidores do Estado do Rio de Janeiro, que pagaram a conta dos rombos de gestores e políticos.
Divulgar as listas é fundamental, porque é preciso lembrar que, enquanto apenas 83 se declaram a favor, no dia em que foi divulgado o escândalo do Temer com Joesley Batista, o governo anunciara ao Congresso que já tinha 225 votos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário