domingo, 15 de janeiro de 2017

SONHEI

Sonhei, sim,
sem pudor e sem limite,
ou compromisso co'a razão.
Mas sonhei qual fora louco,
e você me veio à mente,
numa cama de poema,
numa noite à beria-mar.

Sonhei, sim,
e inventei um mundo novo
sem os ódios e as ganâncias,
onde os homens, todos eles
protegiam a natureza,
o planeta e os  animais.

Sonhei, sim,
fiz a morte suprimir-se
e a cidade fiz tão bela
e tão clara de alegria
e de paz angelical.

Sonhei, sim,
inventei que minha rua
era em meio a bosques verdes
onde eu via mil sanhaços
a brincar toda manhã.

Sonhei, sim,
fiz os seres se irmanarem
e se amaram sem medidas,
caminhando lado a lado
e fazendo que este mundo
se tornasse o próprio Céu.

2010
(Revisto e modificado em 2017)


AMOR DE ESTAÇÃO

Não te sintas jamais senhora absoluta de um poeta;
não me sintas atado à tua pele, à tua boca:
eu te amarei durante os dias de outono,
e amarei Marina pelos meses frios de inverno,
e Maria Rosa por toda a primavera...


Contudo, fique certa como de que os dias anoitecem:
eu te amarei com a intensidade dos sóis de verão.


1996
Revisto e modificado em 2017

ALMA INERTE

A voz que cantava se calou.
A pena que versejava ressecou.
O sol que brilhava se apagou.
Acho que morri mais uma vez,
Ou então minh'alma num coma se afundou.
Minh'alma, que não ri, que não pranteia,
Desacordada, esborrachada no chão duro de granito.
Minh'alma, tão silente, tão exangue e tão inerte...
Acho que minha luz se apagou.
Acho que minha alma se matou.

2010
Revisto e modificado em 2017

A TERRA DE SEU JORGIM


A terra de Seu Jorgim
tem cascatas e morros e matas
tão bonitas de se admirar...
tem morenas e louras, mulatas
tão boas de um ser desejar.

A terra de seu Jorgim
é de beleza pura e singela
que a gente precisa cantar
e tem também dona Estela,
que faz em suspiros sonhar.

Por falar em sonhos, há tantas igrejas
onde o povo de vida modesta
sonha anjos, céu, paraíso,
confiante que, partindo desta,
só terá razões de sorrisos.

Na terra de Pagodim
não se sonham tão-só sonhos místicos,
eu vejo também também sonho artístico
de quem samba nos botequins.
Lá tem muita moça bonita
com sonhos de Cinderela
e também tem a Rosita,
que não é tão moça, mas também é bonita
e sonha também namorar,
mas o marido - bandido! -
insiste em nunca deixar.

A terra de seu Jorgim
tem time de futebol treinando
e uma meninada sonhando
aplausos, estádios, fortuna.

A terra de seu Jorgim
tem casas e ruas singelas,
tem bares de muita alegria,
lugares de muita poesia,
tem, não nego, suas mazelas,
mas não há como enfim não louvar
a terra de seu Jorgim.

2008
Revisto de modificado em 2017